sexta-feira, Março 2

Exame

Um bem sucedido homem de negócios, conta da sua juventude na grande propriedade agrícola da família, na província de Groningen, no norte da Holanda, e surpreende-nos com o curioso exame a que o pai submetia os rapazes que o procuravam em busca de emprego.
Mandava que aparecessem na manhã seguinte, às seis, e punha-os no trabalho mais duro, a ver como se comportavam e do que eram capazes. Ao fim do dia convidava-os para o jantar, que nesse tempo, e como ainda hoje nas casas de lavoura por lá é costume, reunia a família em torno da mesa onde fumegava uma única e grande panela. Dadas as graças, servia-se o pai, depois dele os presentes, todos à uma, cada um procurando o melhor bocado.
Inconsciente da prova a que o submetiam, se por acaso ou modéstia aguardava vez, estava o candidato perdido, pois o patrão nem esperava pelo fim da ceia para lhe dizer que não voltasse, e do dia de trabalho, não recebia paga, tinha sido à prova.
Emprego garantido era para aquele que, empurrando os de casa, arrepanhava o que podia logo depois do patrão, dando mostras da boa mentalidade para vencer na vida.