quinta-feira, Fevereiro 18

Imitação


Porque vem de muito atrás deixou de me surpreender, mas continua a incomodar. É que não há revista, jornal, filme, anúncio, outdoor ou programa de televisão em que se escape ao arreganhar de dentes que antigamente se associava com jericos. Quando zurravam.

Exprimem surpresa estas boquiabertas meninas? Alegria? Entusiasmo?

Pouco ou nada importa. O que conta, pelo menos para mim, é, primeiro, a artificialidade; depois, mais irritante, o ver-me constantemente confrontado com igual arreganhar. Em estabelecimentos e escritórios, cafés, reuniões, festas de aniversário, na rua e no teatro, nos aeroportos, nos comboios...

A vida já não imita a arte nem anseia pelo genuíno ou pelo belo: espelha-se feliz nos comportamentos e caretas do pechisbeque publicitário. Isso lhe basta.