sexta-feira, outubro 7

Vício solitário



(Clique)
Desde a adolescência até tempos atrás sempre tive interesse por anedotas, considerando algumas verdadeiros micro-contos, melhores no conteúdo e mais expressivas que muita prosa.
Assim, ao longo dos anos, fui colecionando uma antologia delas. Uma vez por outra, com o entusiasmo de contá-las, terei abusado da paciência alheia, já que é difícil parar quando o riso parece sinceramente motivado.
Há algum tempo, porém, dou-me conta de que com as anedotas, como com muitas outras coisas, a internet é simultaneamente um bem e um desastre. Um bem, porque custa a crer na quantidade, qualidade e variedade delas. O desastre é que,julgando surpreender um amigo com o que jparece uma pointe sensacional, ele, à medida que a narrativa avança, em vez da gargalhada deixa descair os cantos da boca. É que já conhece. Viu na internet.
A frequência com que isso tem acontecido, justifica que o humor, que para mim era uma manifestação social, está a tornar-se um vício solitário.