sexta-feira, Maio 11

A pele, a bolsa ou a vida


São sem conta os modos de cada um para se afirmar no mundo, e o melhor é esquecermos a moral, a bondade, o respeito, os gostos, a lei e os costumes, caso contrário não há ponta de que se possa dizer que é a boa para se lhe pegar.
Esta jovem holandesa, Katinka Simonse, artista plástica, tendo dificuldade em provar a sua presença entre nós e a originalidade do talento que supõe possuir, encontrou a  resposta no gato que tinha em casa: quebrou-lhe o pescoço, curou a pele, fez com ela uma bolsa e correu à televisão a contar a história.
Evidentemente recebeu atenção, e muita, pelos jeitos foram mais de cem mil os e-mails que recebeu, incluindo aí ameaças de morte, mas também cumprimentos pela ousadia na procura de novos caminhos para as artes plásticas. Com esse material está a preparar um livro para, segundo o seu dizer, “desmascarar a hipocria da internet”.
Como tem mais animais em casa, ao mundo resta esperar por qual será o próximo pescoço quebrado e a obra de arte que fará com a pele.