terça-feira, março 25

Corridas


Pronta como a felicidade é na arte do escape, em vez de correr atrás dela fatiga menos, e dá maior a satisfação, deixar que venha ao nosso encontro. Também de nada adianta querê-la grande, como sonham os poetas e os amantes, pois é a miudinha a que com mais frequência se repete.
Sei do que falo, o gráfico da minha vida apresenta cumes e fundos muito semelhantes aos extremos da febre de quem sofre de sezões. Com eles descobri que um pico de felicidade, por intenso que seja, não faz contrapeso ao conforto e à segurança dos momentos de bem-estar, os quais dependem de pequenas coisas, muitas vezes até da rotina.
Prego no deserto. Também eu corri atrás dela, e muitas vezes me esfalfei.