terça-feira, agosto 4

Colhões

O problema, se assim se lhe pode chamar, é manter a seriedade quando ele diz:

- Sempre tive os colhões no sítio!

Ninguém põe em dúvida a geografia da sua genitália, nem há interesse em saber quanta testosterona armazena nos ditos, mas franzino de corpo e voz fininha, causa espécie aquela constante alusão aos testis.

No mês passado esteve na Polónia e trouxe de lá a bizarra certeza de que "as polacas são mulheres de colhões," mas depois, num congresso em Estocolmo, estranhou constatar que "os suecos não têm colhões, e os noruegueses também não! Nem os russos!"

Para desconforto meu e surpresa dos holandeses que nos ouviam, ele, que é da Covilhã, agarrou-me pelo braço, jovial:

- Colhões temos nós, portugueses! Sempre tivemos!

De vergonha ou acanhamento, senti que as partes se me encolhiam.